BMW volta a registrar patente de scooter com capota, agora removível

A BMW voltou a patentear uma capota para scooters, agora removível. A marca chegou a vender na Europa no início deste século o C1 (foto acima), uma mistura entre carro e motocicleta. Porém, o modelo foi incompreendido e o design não agradou o público. Com isso, teve uma vida curta de apenas dois anos. No primeiro ano, chegou a ter 10.000 unidades vendidas, mas o interesse sofreu um declínio e saiu de linha em 2003, quando não chegou nem a 2.000 exemplares comercializados.

O preço mais alto do que de um scooter com potência equivalente e a exigência em vários países de que o piloto deveria usar capacete também contribuíram para que o modelo com capota BMW C1 deixasse de ser fabricado. Ele chegou a ser mostrado no Brasil, no Salão do Automóvel de São Paulo de 2000, mas nunca foi importado.

Capota poderia ser usada em vários modelos da BMW

Nova patente mostra um sistema de capota removível para scooters

A nova patente mostra que a fabricante alemã ainda está refletindo sobre a ideia do C1. Ela foi registrada na Alemanha e mostra um design modular para o que parece ser o chassi da C-Evolution, a scooter elétrica da BMW Motorrad. Os desenhos mostram como um teto pode ser adicionado a uma scooter e, assim, alterar seu design, aumentar sua segurança e melhorar a proteção contra intempéries.

Aparentemente, a capota não seria destinada apenas para o C-Evolution, mas também para outros modelos de combustão da marca. Na Europa, a BMW vende o C 650 GT, C 650 Sport, C 400 GT e o C 400 X, além da scooter elétrica. O fato de pode ser retirada é para facilitar a manutenção do veículo. Porém, no momento, é apenas uma ideia registrada. Não há informações de que a fabricante bávara pretenda relançar a ideia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *